• CAFFEINE ACADEMY

Afinal, o que são os sons binaurais?


A música é algo que faz parte da nossa vida desde cedo e, certamente, você tem uma trilha sonora para cada momento dela. Se estiver se sentindo nostálgico, que tal um clássico da MPB? Na hora de limpar a casa, o POP é uma ótima pedida. E no treino, electro com certeza!

Para maximizar o desempenho cognitivo, aumentar o foco, melhorar o sono e reduzir a ansiedade, os chamados sons ou batidas binaurais podem te ajudar. Isso porque, esses sons são capazes de alterar a frequência das ondas cerebrais e até o comportamento.

Basicamente, os sons binaurais são formados a partir de duas notas diferentes que geram uma variação de frequência. Parece complicado? Não se preocupe, nos próximos parágrafos vamos te explicar detalhadamente como esses sons se formam e seus benefícios.


Entenda como os sons binaurais funcionam

Vamos começar do básico: o conceito de som.

Na física, o som é uma onda que se propaga pelo ar e outros meios a partir da vibração de suas moléculas. Todo som tem uma frequência - medida em hertz (Hz)-, que define a altura do som.

Quanto maior a frequência do som, mais agudo (alto) ele é, e quanto menor a frequência, mais grave (baixo) o som. Nós, humanos, somos capazes de perceber sons entre 20 Hz e 20.000 Hz. Já os animais têm capacidades auditivas bastante apuradas, os cachorros, por exemplo, ouvem entre 15 Hz e 50.000 Hz.

Niraj Naik, fundador do Trpynaural, explica como se formam os sons binaurais:

“Quando você toca duas frequências separadas em cada ouvido, digamos 140 Hz e 149 Hz, a diferença na frequência é 9 Hz. Seu cérebro compensa essa diferença e é experimentado um terceiro tom de 9 Hz”.

Niraj ainda explica que essa compensação faz com que o cérebro seja elevado ou abaixado e sintonizado na frequência desejada, produzindo então as batidas binaurais.


Estudos científicos

O estudo sobre os sons binaurais datam em 1839, quando o cientista alemão Heinrich Wilhelm Dove percebeu que o cérebro é capaz de detectar a variação de sons quando são captados separadamente pelos ouvidos.

A pesquisa de Heinrich mostrou que, para conciliar essa diferença, o cérebro sincroniza o funcionamento dos hemisférios esquerdo e direito, o que gera uma nova frequência - o som binaural.


Outra pesquisa de destaque mundial é o artigo “Auditory Beats In The Brain”, do biofísico Gerald Oster, publicado em 1973 na Scientific American. Nesse estudo, foram utilizadas as batidas para comprovar que a estimulação auditiva melhora o funcionamento do cérebro.

Como escolher e onde encontrar os sons binaurais

As cinco principais categorias de frequências de ondas cerebrais são: Delta (1- 4 Hz), Teta (4 - 7 Hz), Alfa (7 - 13 Hz), Beta (13 - 40 Hz) e Gama (+ 40 Hz), cada uma delas está relacionada um estado mental diferente, gerando então diversos efeitos benéficos. Veja abaixo:

Delta

  • Estimula a produção dos hormônios antienvelhecimento;

  • Promove o relaxamento físico;

  • Coordenada os batimentos cardíacos;

  • Reduz o estresse.

Teta

  • Estimula a aprendizagem e a criatividade;

  • Promove a cura espontânea;

  • Reduz o estresse e a ansiedade;

  • Promove o sono REM.

Alfa

  • Reduz os estados de estresse e depressão;

  • Torna a meditação mais leve;

  • Aumenta a energia vital;

  • Gera mais coordenação mental.

Beta

  • Melhora o raciocínio lógico;

  • Facilita o pensamento linear;

  • Ajuda na resolução de problemas;

  • Expande o estado de alerta.

Gama

  • Promove a hiperconcentração;

  • Melhora a memória;

  • Aumenta o foco;

  • Proporciona mais bem-estar.

Após toda essa explicação, aposto que você está curioso para experimentar os sons binaurais. Bom, você pode encontrar esses sons no youtube, no Deezer e no Spotify, além de aplicativos, como Binaural beats e Atmosphere.

Para que as batidas binaurais funcionem, é extremamente importante que você use fones de ouvido. Certifique-se também ouvir as batidas binaurais certas, pois frequências diferentes produzem efeitos diferentes.



fonte: https://blog.caffeinearmy.com.br/



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo