Destaque:
Procure por Tag:

Como expandir sua criatividade

1/10
Please reload

SEROTONINA

22/05/2015

 A serotonina é um composto orgânico encontrado no sangue, que foi parcialmente purificado e assim nomeado em 1948. Mais tarde descobriu- se que ela é encontrada amplamente em toda a natureza, assim como em outras partes do corpo, como no intestino humano e no cérebro.

 

Desempenha papel no organismo como um neurotransmissor no cérebro; sua função é conduzir a transmissão de uma célula nervosa para outra. Quimicamente, é o produto da transformação do aminoácido triptofano.

 

TRIPTOFANO

Sua importância na psiquiatria deve-se ao fato de ele ser o precursor da serotonina.

É um nutriente encontrado em alimentos ricos em proteínas, como carne, peixes, peru e laticínios.

 

A serotonina influencia em nosso humor, nas emoções, na memória, no desejo sexual, no comportamento, no apetite e no sono. Níveis baixos desse neurotransmissor estão associados a ansiedade, alterações do humor, irritabilidade, comportamento obsessivo, distúrbios do sono, depressão e outros problemas.

 

Nutricionistas sugerem que certas vitaminas encontradas nos alimentos – especialmente as do complexo B: ácido fólico, vitamina B6 e B12 – mantêm os níveis dos neurotransmissores elevados.

 

Boas fontes incluem feijão, espinafre, brócolis, couve, couve -flor, agrião, cebola, alho, cará, abóbora, ervilhas, rabanetes, aipo, coentro, erva-doce.

E ainda banana, abacaxi, ameixa, laranja, maçã, tomate, levedo de cerveja, aveia, sementes de gergelim…

 

Sintomas clássicos da depressão (principalmente se prolongam-se por um período longo): tristeza, sentimento de abandono e rejeição, desespero, falta de concentração, perturbações alimentares, dificuldade do sono, confusão mental, incapacidade de fazer as atividades diárias com prazer.

 

ANTIDEPRESSIVOS E ANSIOLÍTICOS

O psiquiatra Fernando Portela diz que os antidepressivos estimulam a produção de neurotransmissores que estão em falta, e inibem a produção daqueles em excesso, gerando um equilíbrio que permite o bom funcionamento do cérebro.

Afirma também que a presença médica é indispensável, pela infinidade de efeitos colaterais capazes de prejudicar a saúde física e mental do paciente, se o uso não for realizado com os cuidados adequados.

 

Os principais riscos: problemas de dose e frequência de ingestão, combinação com outros medicamentos (que podem perder a sua eficiência), associação com bebidas alcoólicas – o hipocampo (região do cérebro vital para a memória) de uma pessoa que bebe é menor que uma pessoas sem vícios. Nesse caso os antidepressivos podem levar a déficit irreversível de memória quando tomados de forma abusiva.

 

Dos vários neurotransmissores, a serotonina exerce grande influência no estado de humor, principalmente em pessoas com depressão.

 

O caminho do equilíbrio: uma alimentação pobre em carboidratos por vários dias, pode levar a alterações do humor, assim como o excesso de proteínas.

 

FONTES DE CARBOIDRATOS

Pães, cereais integrais, biscoitos integrais, massas integrais, arroz integral, frutas, legumes, chocolate amargo (com moderação)

 

FONTES DE PROTEÍNAS 

Dão um estado de alerta e pique: peixes, carnes magras, aves sem pele, ovos, leguminosas, castanhas, nozes, leite e iogurte, queijos magros, tofu (queijo de soja).

 

Existem vários alimentos na natureza que funcionam como antidepressivos:

 

Selênio

Castanha-do-Pará (duas castanhas diariamente fornecem 200 microgramas de selênio de forma garantida) nozes, amêndoas, semente de girassol, trigo integral, peixes, atum.

 

Ômega 3

Salmão, atum, bacalhau, cavalinha, sardinha, óleo de peixe e semente de linhaça.

 

Pimentas

Pesquisas científicas constatam que o uso de pimenta vermelha durante as refeições tem ação no Sistema Nervoso Simpático, melhorando o ânimo de uma pessoas deprimidas.

 

Camomila

Usada por nossos avós, é sempre usada para acalmar crises de nervosismo, como também para melhorar o sono.

 

Cafezinho 

De dois a três cafés ao longo do dia (cuidado com a quantidade de açúcares e adoçantes)

podem prevenir a depressão, auxiliando na memória e na concentração.

 

Magnésio 

Tofu, soja, caju, tomate, espinafre, aveia, arroz integral.

 

Cálcio 

Esse importante mineral ajuda a reduzir a irritabilidade e o nervosismo, regulando também a pressão arterial e os batimentos cardíacos.

Leite, iogurte, queijos magros.

 

Outras atividades com ação antidepressiva:

 

EXERCÍCIO

Atividade física regular gera um imediato aumento da serotonina e da endorfina.

 

Endorfina é um hormônio produzido pelo próprio organismo na glândula hipófise.

O termo tem sua origem nas palavras : endo (interno) morfina (analgésico).

 

Após muitos anos de pesquisa (apesar de ainda persistirem várias dúvidas), os cientistas hoje consideram a endorfina mais do que um analgésico natural.

 

A liberação desse hormônio causa sensação de bem-estar, ajuda na redução das dores e da ansiedade, alivia tensões, aumenta a disposição física e mental e o humor. Seus efeitos podem ser sentidos por mais de uma hora, o que pode explicar a tranquilidade que as pessoas apresentam após alguma atividade física.

 

TOMAR SOL

A luz solar eleva naturalmente a serotonina

Procure tomar cerca de 15 minutos diariamente.

 

OUVIR MÚSICA

Além de elevar a serotonina, reduz os níveis de cortisol (homônio do estresse)

Somente as harmoniosas diminuem a frequência cardíaca e atuam como calmante natural.

 

MEDITAÇÃO E ORAÇÃO

Permite altos níveis de relaxamento, pela da modificação da postura e da respiração.

Um método inteiramente grátis que não pode ser comprado em nenhuma farmácia,

Necessário é dispor de tempo para você tomar contato consigo mesmo.

 

Seja feliz!

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

*O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor.

 

 

Matéria do site: www.isabellafiorentino.com.br

Tags:

Please reload