Estratégias para aumentar o autoconhecimento

Existem várias ferramentas que nos ajudam a aumentar o autoconhecimento. No entanto, o mais importante é que exista um interesse verdadeiro em conhecer a si mesmo de forma profunda.

Por que vale a pena aumentar o autoconhecimento? Esta é talvez a primeira pergunta que vem à mente quando se fala sobre este assunto.

A verdade é que potencializar o autoconhecimento é um fator que nos ajuda a viver melhor. Se uma pessoa sabe quem é e o que quer, pode concentrar seus esforços de forma mais eficaz.

Este fator afeta todos os aspectos da vida. Aprimorar o autoconhecimento enriquece a existência de muitas maneiras. É também um ponto de partida indispensável para o crescimento e evolução. Mas como alcançá-lo?

O que é autoconhecimento?

Autoconhecimento é saber quem você é. Dito assim parece simples, mas ao mesmo tempo abstrato demais.


De forma mais concreta, pode-se dizer que o autoconhecimento consiste na capacidade de identificar nossos estados mentais, processos psicológicos, preferências e disposições. É também a capacidade de ter consciência do que está acontecendo em nosso mundo interior.

Graças ao autoconhecimento podemos detectar as mudanças que ocorrem em nós mesmos, assim como alterações no humor, contradições com o ambiente e o que nos deixa desconfortáveis. Ele também permite prever a maneira como agiremos em determinadas circunstâncias.


A importância do autoconhecimento

Os seres humanos são bons em enganar a si mesmos. Existem vieses cognitivos ou distorções de pensamento que nos induzem a fazer isso. Da mesma forma, sentimentos reprimidos ou experiências não processadas nos fazem ver a nós mesmos de forma distorcida.


O autoconhecimento é um processo que nunca termina, pois as pessoas mudam com o tempo e com as experiências vividas. Por isso esse é um exercício contínuo, que nunca leva a conclusões definitivas.


Conhecer-se, de qualquer forma, proporciona clareza para agir de forma mais precisa em todas as áreas. Ajude a definir metas realistas e alcançáveis. Da mesma forma, contribui para regular as emoções e buscar ou rejeitar o que nos incomoda ou simplesmente não satisfaz.


Quando uma pessoa não se conhece o suficiente, geralmente surgem problemas como os seguintes:

  • Insegurança pessoal: existe uma maior dependência da aprovação ou desaprovação externa.


  • Estagnação do desenvolvimento: se você não está ciente de seus próprios pontos fortes e fracos, não sabe para onde canalizar seus esforços para crescer.


  • Comportamentos automáticos inadequados: comportamentos são adotados e repetidos, sem saber por quê.


  • Decisões erradas: situações inconvenientes são mais propensas a serem escolhidas, pois a pessoa não está atenta às próprias decisões.


  • Desperdício de energia e recursos: pode-se gastar muito tempo, energia e recursos fazendo coisas que realmente não interessam.

O processo de autoconhecimento envolve a razão e os sentimentos.

Estratégias para aumentar o autoconhecimento

Nesse ponto, vale ressaltar que o autoconhecimento é um processo e não uma conquista pontual. Todos nós nos conhecemos até certo ponto, mas se forem tomadas ações para aprimorar o autoconhecimento, um nível mais profundo e decisivo será alcançado. Como fazer isso? As estratégias a seguir podem ajudar:


1. Escreva um diário

O diário pessoal ainda é uma ferramenta clássica para aumentar o autoconhecimento. Seu uso suscita uma reflexão sobre os acontecimentos do dia, mas principalmente sobre a forma como a pessoa agiu e os sentimentos envolvidos no fato.

Da mesma forma, promove uma maior ordem nas emoções e ideias. Ao revisá-lo, são descobertas muitas coisas que passam despercebidas à primeira vista.


2. Faça a roda da vida

A roda da vida é outro dos instrumentos que ajudam a aumentar o autoconhecimento. Basta fazer um círculo e dividi-lo nas áreas que compõem a sua própria existência: amizades, parceiro, trabalho, finanças, etc. Em seguida, identifique em quais delas você deseja melhorar, numerando-as em ordem de prioridade.


3. Explore outras percepções

Esta estratégia consiste em pedir para outras pessoas te descreverem. O segredo é ouvir com a mente aberta e captar os aspectos que se repetem.

Existem características de nós mesmos das quais não estamos cientes mas que os outros percebem. Da mesma forma, existem áreas da nossa personalidade que manifestamos de forma errônea.


4. Faça a linha da vida

Consiste em fazer uma linha do tempo. Esta é uma linha horizontal na qual os momentos marcantes são expressos em datas. Tais marcos são os eventos mais relevantes que vivenciamos. Tudo termina no agora. Fazer este exercício nos permite desenhar esquematicamente o nosso passado.


5. Amplie o vocabulário emocional

É importante aprender a identificar as emoções com a maior precisão possível. Às vezes não estamos tristes, mas sim desanimados ou nostálgicos.

Quanto maior a capacidade de verbalizar o que se sente, mais aumentará o nível de autoconhecimento. Para isso é necessário ampliar o vocabulário emocional.


6. Reconecte-se com o corpo

O corpo e a mente mantêm um vínculo muito estreito. O que acontece em uma dessas dimensões afeta a outra.

É muito valioso aprender a ler os sinais fornecidos pelo corpo. Existem emoções inconscientes que, por isso mesmo, passam despercebidas.

7. Identifique os gatilhos das emoções

Sentimentos como alegria, tristeza ou raiva não aprecem por conta própria. Existem fatores que os ativam, e aprender a reconhecê-los ajuda muito a aumentar o autoconhecimento. Ao experimentar essas emoções, o ideal é tentar identificar qual foi a situação, a palavra ou o evento que os desencadeou.


8. Reconhecer as reações

As emoções também se traduzem em comportamentos. A questão aqui é como uma pessoa reage à felicidade, tristeza ou raiva.


Ao responder a essa pergunta, é possível estabelecer uma conexão entre emoção e comportamento. Isso leva a conhecer a si mesmo de forma mais profunda, e ser capaz de antecipar reações futuras.


Os sentimentos devem ter um nome para que possamos torná-los mais precisos, saber como reagimos a eles e os efeitos que eles têm sobre os outros.

9. O efeito sobre os outros

Este é um aspecto crucial e tem a ver com a observação do efeito que as nossas emoções têm sobre os outros. Há uma mudança nos outros quando estamos com raiva, cansados, desconfortáveis ou distantes?


10. Tome a decisão de conhecer a si mesmo

A mente humana é complexa e, embora conhecer a si mesmo seja o objetivo de muitos, várias pessoas resistem a fazê-lo. Às vezes é formada uma imagem fantasiosa de si mesmo, e com isso a pessoa não quer que nada nem ninguém remova essa máscara.


Isso acontece, principalmente, quando há problemas que elas não querem enfrentar. Pode ser doloroso fazer isso, ou levar a perguntas desconfortáveis. Se, em qualquer caso, houver interesse em promover o autoconhecimento, o mais indicado nesses casos é fazer psicoterapia.


 

fonte:

https://melhorcomsaude.com.br/


 

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo